Boas ações em nome do meio ambiente.

13/04/2017

Dois problemas que se arrastam há anos começam a ser resolvidos pela ad­ministração do prefeito Luís Fiorani. Re­conhecendo a importância de pre­ser­var o meio ambiente, a prefeitura ini­ciou duas importantes obras neste seg­mento. Ambas são executadas com re­cursos próprios e os investimentos tota­lizam cerca de R$ 100 mil.

Uma delas é a reforma na Estação de Tratamento de Esgoto. A adequação é necessária para atender exigência da Cetesb que, no passado, advertiu e, de­pois, multou o município por inefi­ciência quanto ao tratamento primário do esgoto lançado no Córrego Barro Preto. Essas melho­rias já garantiram ao município a obten­ção da Licença de Operação até o ano de 2022.

A outra benfeitoria tem relação com o lixo domiciliar. A pre­feitura prossegue os tra­balhos que visam a im­plan­ta­ção do novo aterro sani­tário no município. Loca­lizado a cerca de oito km da cidade, na vi­cinal que liga Vista Ale­gre do Alto à Ariranha, nu­ma área ce­dida em como­dato pela Usina Nar­dini, o aterro será equi­­pado com alambrado para fecha­mento e iso­lamento da nova área.

Desde 2014, a Cetesb vem cobrando melhoramentos na destinação final do lixo. O órgão, nas suas inspeções técni­cas de rotina, constatou deficiência de ordem operacional do aterro. Sem con­tar que o antigo aterro estava em conta­gem regres­siva para encerrar suas ati­vidades, o descaso foi além. A Cetesb apon­tou ou­tros proble­mas como lixo es­palhado por todo o ter­reno do aterro; pre­sença de lixo fora das valas; lixo de vários dias, acumulado na vala, sem cobertura; e a pre­sença de uru­bus. 

E, mais uma contri­buição para o meio am­biente foi anunciada pe­lo pre­feito Luís Fio­rani. Trata-se do projeto para reimplantar o mais breve possível a coleta seletiva de lixo domiciliar, paralisada desde 2013. A medi­da, ainda em fase de estudo, deve aumen­tar a vida útil do aterro sanitário municipal, assim como evita a poluição do ambiente (água, ar e solos) provoca­da pelo lixo. “A coleta seletiva traz inú­meros benefícios sociais e ambien­tais para a cidade”, observa a administração municipal.